No Paysandu, interino continua em observação


De provisório a permanente. Essa poderá se a situação do auxiliar-técnico Aílton Costa, que foi efetivado no comando do time do Paysandu, pelo menos até o jogo de sexta-feira (31), contra o Juventude-RS, no posto de Guilherme Alves, que caiu após a derrota frente ao Sampaio Corrêa-MA, na rodada passada da Série B do Brasileiro.

Embora o diretor Ulisses Sereni tenha afirmado que o clube pretende trazer um treinador de fora para a sequência do campeonato, especula-se, na Curuzu, que existem grandes possibilidades de Costa ser mantido no cargo, dependendo do resultado da partida contra o time gaúcho.

O próprio Sereni chegou a comentar, de passagem, a efetivação de Costa no cargo, dando como exemplo situações ocorridas recentemente no futebol brasileiro. O dirigente citou os casos de Jair Ventura e João Brigatti, respectivamente, no Botafogo-RJ e na Ponte Preta-SP, que deixaram as funções de assistentes para ocupar a direção de suas equipes.

“Por que não acreditar naquelas pessoas que trabalham conosco e que sofrem muito com esses problemas?”, questionou Sereni, sem, no entanto, confirmar a intenção de manter Costa no comando do Papão até o final da participação bicolor na Série B.

Mas as especulações dão conta de que Costa poderá seguir no cargo até para o jogo seguinte, em Sorocaba, diante do São Bento-SP. Tudo, evidentemente, dependendo do resultado que o time obter na partida de sexta.

SAÍDA ACESSÍVEL

A solução caseira seria, como se diz, a mão na roda para a direção bicolor, que estaria encontrando dificuldade para fechar com um novo técnico. Como pretende trazer um treinador que conheça a realidade do Papão e, principalmente, a situação do Paysandu na Série B, dois profissionais foram sondados pelos dirigentes: Mazzola Júnior e João Brigatti, que trabalharam juntos no clube.

Mazzola, responsável pelo acesso do Papão à Série B, em 2014. Brigatti, assistente do treinador, na época, não teriam topado deixar suas respectivas equipes para uma aventura no comando bicolor. Outra dificuldade enfrentada pela cartolagem estaria na questão financeira. O clube disponibilizaria R$ 50 mil de salário ao novo técnico. Mas as pedidas dos treinadores sondados teriam sido bem acima desse valor, o que teria inviabilizado as negociações.

Com as negociações com os técnicos sondados emperradas, aumentam ainda mais as chances de Costa continuar.

Papão na zona ruim


Enquanto se vê no impasse de quem fica no comando técnico do time, a diretoria do Papão amanhece com mais uma dor de cabeça: o São Bento venceu na noite de ontem o Oeste, pelo placar de 1 a 0, em Barueri (SP), pela 24ª rodada da Série B.

O resultado faz com o que o Paysandu entre pela primeira vez na competição na zona de rebaixamento, em 17º lugar, com 25 pontos. Vale lembrar que os bicolores ainda não jogaram na referida rodada.

(Nildo Lima/Diário do Pará)
29/08/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.