Empate não livra Paysandu do perigo de seguir apenas uma posição acima da zona


Não foi o resultado que Boa Esporte-MG e Paysandu esperavam, mas o empate do último sábado, por 1 a 1, no estádio Dilzon Melo, o Melão, em Varginha, Minas Gerais, ao menos manteve o Paysandu fora da temida zona de rebaixamento da Série B do Brasileiro. Para os donos da cas,a o resultado pela 27ª rodada do campeonato acabou sendo ainda pior. A equipe mineira, que havia deixado a lanterna na rodada passada, ao derrotar o Goiás-GO, voltou a figurar na última colocação. Agora, o Papão tem dois jogos seguidos em Belém, contra o Criciúma-SC e o Goiás-GO, no sábado (22) e sexta-feira (28).

Paysandu: Hugo Almeida merece carimbo de parabéns! Com o empate, o Paysandu se manteve na 16ª colocação, agora com 30 pontos. Ou seja, os bicolores ainda se encontram em situação, no mínimo, delicada, pois qualquer tropeço poderá mandar o time para o último compartimento da classificação. A ordem, desde o término da partida no Melão, é fazer o dever de casa diante do Tigre e do Periquito. Caso tivesse vencido o Boa, o Papão estaria hoje em situação um pouco melhor, no caso, na 15ª colocação, mas também nada tão animador para a Fiel.

OS GOLS

Nem bem a bola rolou e o Boa foi logo surpreendendo com a abertura do placar. Aos 5 minutos, Barbio deu toque sutil e mandou a bola para o fundo da rede.

Pressionando, o Papão chegou ao empate, aos 30. Após cobrança de escanteio, Hugo Almeida subiu livre para empatar o placar. A partir daí o jogo voltou ao marasmo, com esporádicas tentativas, sem sucesso de ambos os lados, decretando o empate no primeiro tempo do confronto.

LANCE POLÊMICO

O jogo recomeçou morno, chato de se ver. O que mais chamou a atenção foi o lance polêmico protagonizado por Hélder, que invadiu a área e foi derrubado por Ivo. O time do Boa pediu pênalti, mas o árbitro não deu. O placar seguiu no 1 a 1 até o final da partida, resultado que acabou sendo ruim para os dois lados.

Brigatti vê o lado bom do empate

Embora o objetivo fosse chegar aos três pontos, o empate diante do Boa, na visão do técnico João Brigatti não foi de todo ruim para o Paysandu. “Não podíamos perder. Tivemos uma bobeira no início do primeiro tempo e tomamos o gol. Depois nos ajustamos, empatamos e poderíamos ter virado ainda no primeiro tempo”, comentou. “No segundo, tivemos uma chance clara no final com o Mike, que, na minha visão, foi falta e o juiz poderia ter marcado, o que poderia definir a partida”, analisou.


Para o comandante bicolor, o Papão vai, aos poucos, entendendo a maneira de jogo que ele tenta implantar. “A equipe está assimilando esse espírito”, afirmou. Para o treinador, o resultado no “Melão” representou “mais uma batalha vencida, o que dá moral para trabalhar”. O treinador conclamou o torcedor do Papão a jogar com o time nos dois próximos compromissos, contra, pela ordem, o Criciúma e o Goiás, ambos em Belém. “É chamar a torcida, a diretoria. Precisamos de todos”, pediu. “Temos uma semana para trabalhar até a partida difícil contra o Criciúma. É trabalhar para melhorar tecnicamente essa equipe. O Paysandu ainda tem muito a crescer”, discursou.

Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

(Nildo Lima/Diário do Pará)
17/09/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.