Após empate, bicolores seguem confiantes



Mais uma vez, como já se tornou rotina nos jogos do Paysandu, os atletas bicolores deixaram o gramado do “Serra Dourada”, ontem, lamentando o fato de o time ter feito uma apresentação até satisfatória, mas não ter conseguido emplacar os três pontos pretendidos. O zagueiro Perema, por exemplo, se queixou do que chamou de “falta de sorte” do Papão, que levou duas bolas da trave do adversário. “Uma pena que a gente não conseguiu. Fizemos um grande jogo”, avaliou.

O defensor projetou a conquista da vitória para o confronto de terça-feira, 6, contra o Oeste-SP, na Curuzu. “O mais importante agora é vencer dentro de casa”, declarou Perema. “Estamos lutando muito para tirarmos o time dessa situação”, garantiu o jogador, que na próxima partida deverá ter a companhia, novamente, de Diego Ivo, que cumpriu suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O lateral-esquerdo Guilherme Santos procurou amenizar o empate.

“Creio que estamos no caminho certo. Tenho certeza que vamos honrar esse trabalho que vem sendo feito pelo grupo”, prometeu Santos. Mas o tal trabalho salientado pelo lateral só terá êxito mesmo, caso o Papão consiga se livrar do rebaixamento.

Para que isso aconteça, a partir de agora é tolerância zero com os erros, com o Papão precisando fazer o seu dever de casa na próxima partida e na última rodada contra o Atlético-GO, tendo, ainda, de pontuar fora de casa contra Guarani-SP e Figueirense-SC.

E MAIS...

O Paysandu já tem um desfalque certo para encarar o Oeste, na próxima terça-feira, na Curuzu, pela 35ª rodada da Série B do Brasileiro. O zagueiro Fernando Timbó recebeu, ontem, diante do Vila Nova-GO, o terceiro cartão amarelo e não poderá entrar em campo. Menos mal que o capitão Diego Ivo, que não pôde enfrentar o adversário goiano pelo mesmo motivo, já estará livre para retornar ao time bicolor, formando dupla de zaga com Perema. .

A preocupação passa a ser a situação do lateral-esquerdo Guilherme Santos, que deverá ser julgado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por ter sido expulso diante do Fortaleza. O jogador, que agrediu o adversário Dodô, corre o risco de pegar até 4 a 12 jogos. Contra o defensor pesa o fato dele ser reincidente, já que se envolveu em uma confusão quando atuava no Japão, antes de retornar à Curuzu. A direção bicolor espera o julgamento para entrar com pedido de efeito suspensivo para a punição do atleta.

(Nildo Lima/Diário do Pará)
05/11/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.