Pior defesa da Série B, Paysandu teve um ano para esquecer; veja os números

Em toda a temporada, Bicola sofreu 75 gols em 61 jogos, com média de 1,22 gol sofrido por partida

Em toda a temporada, Bicola sofreu 75 gols em 61 jogos, com média de 1,22 gol sofrido por partida

O elenco do Paysandu neste ano de 2018 terminou a temporada recheado de marcas negativas. Além do rebaixamento à Série C do campeonato brasileiro, o time amargou quatro derrotas seguidas do rival no campeonato paraense, a eliminação na primeira fase da Copa do Brasil e ainda ficou com a defesa mais vazada dos últimos cinco anos do clube. O ponto fora da curva foi mesmo a conquista da Copa Verde.
Em números reais, o gol defendido 17 vezes por Marcão e 44 vezes por Renan Rocha sofreu um total de 75 gols, sendo 53 na Série B do campeonato brasileiro, 13 no campeonato paraense, sete na Copa Verde e dois na Copa do Brasil. A média foi de absurdo um 1,22 gol por partida. 
Na Segundona, por exemplo, a equipe alviceleste só saiu ilesa em oito das 38 partidas que realizou. Ao final da competição, o Bicola ficou com o 'status' de pior defesa, com incríveis 53 gols sofridos. Na média somente da Série B, o Paysandu sofreu 1,39 gol por jogo.
O fiasco deste ano para o Bicola fica ainda mais evidenciado quando comparado aos anos anteriores em temporadas emq ue o clube disputou a mesma Série B. Em 2017, o time terminou sem aspirações por acesso e sem riscos de queda com uma média de 0,9 gol por partida, ou seja, 61 gols sofridos em 62 confrontos. No ano anterior, o comportamento foi parecido com 65 gols sofridos em 64 jogos e média de 1,01. Em 2015, o Papão quase subiu, terminou em sétimo e levou 66 gols em 63 duelos, em uma média de 1,04. 
O ano de 2014 foi vivido dentro da Série C do campeonato brasileiro, mas, ainda assim, vale a comparação pelo fato de o Bicola ter subido para a Série C sofrendo 69 tentos em 62 jogos, com média de 1,11. No ano de 2013, o Papão amargou o rebaixamento da Série B para a C e fez por merecer, haja vista que tomou 85 gols em 65 vezes que entrou em campo. A média foi de 1,30.
Para 2019, a missão será a de recuperar a imagem do clube, mas não para o mercado da bola, e, sim, para a torcida. A primeira rodada está marcada para o dia 19 de janeiro, contra o campeão da Segundinha deste ano, na Curuzu, em Belém.
ORM
27/11/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.