Prejuízos aos cofres do Paysandu chega a R$ 12 milhões


O rebaixamento do Papão à Série C causa sério prejuízo financeiro ao clube. O primeiro reflexo é a perda do contrato com a Caixa, principal anunciante do clube, parceria gerava uma receita de R$ 2 milhões por ano. De acordo com o presidente Tony Couceiro, a queda causou um prejuízo de cerca de R$ 12 milhões. Há quem acredite que o valor é pelo menos R$ 3 milhões a mais do que o calculado pelo dirigente.

Não bastasse o fim do convênio com a Caixa, o clube ainda deverá ter baixas em sua carteira de filiados do projeto Sócio Torcedor, além da queda de vendas de material da marca Lobo. Para complicar ainda mais a situação, o Paysandu não terá ano que vem a “injeção” financeira da CBF. Situação diferente da Série B, que este ano rendeu uma cota de R$ 6 milhões.

O que fazer agora?

“Hoje (sábado) passamos vergonha dentro de casa.” O desabafo foi feito pelo técnico João Brigatti na coletiva à imprensa, após a goleada diante do Atlético-GO, que culminou com a queda do Paysandu à Série C de 2019. O treinador começou a entrevista pedindo perdão à torcida do clube. “Quero começar pedindo desculpas pra instituição, pra essa torcida maravilhosa. Hoje fomos incompetentes. Não tem como. Uma equipe totalmente desequilibrada dentro de campo, que em nenhum momento acreditava”, afirmou.

O treinador dividiu a responsabilidade pela queda entre todos do clube. “Tem que levantar a cabeça e ver o que vem acontecendo desde o início do ano, os erros tanto da diretoria como da parte técnica, dos atletas”, sentenciou. Brigatti lamentou o fato de o Papão não ter feito o seu dever de casa, o que o teria levado à permanência na Série B. “Se tivéssemos feito o dever de casa, com o empate (entre Boa e Oeste) permaneceríamos na Série B. A nossa falta de competência causou o descenso do Paysandu”, disse.


O técnico reconheceu que o time cometeu uma série de falhas que acabaram culminando com a goleada sofrida. “Não adiante chegar hoje e citar esse ou aquele erro. Foram muitos”, analisou. “Parece que a pressão foi grande, a equipe se abateu demais”, prosseguiu.

Ontem, Ricardo Gluck Paul, atual vice de gestão e futuro presidente do clube, confirmou que Brigatti será o técnico do time bicolor para a temporada 2019. O comandante deve promover uma grande reformulação no elenco - cerca de 90% do grupo. Em 13 jogos no comando do time na Série B, Brigatti obteve quatro vitórias, quatro derrotas e cinco empates, com um aproveitamento de mais de 43%. Segundo Gluck Paul, em entrevista ao site do clube, Brigatti “é um treinador capacitado (...) Foi nítida a boa evolução que tivemos desde a sua chegada, apesar de não termos conseguido escapar do rebaixamento”.



DOL
26/11/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.