Ricardo Gluck Paul é confirmado como presidente do Papão

Novo presidente assume para os próximos dois anos; ao seu lado ele terá Ieda Almeida como vice de operações e Maurício, como vice de gestão. (Foto: Marco Santos/Diário do Pará)

A temporada 2019, como apropriadamente afirmou o zagueiro Diego Ivo, é mesmo para ser esquecida pelos torcedores do Paysandu. Tirando o segundo título da Copa Verde, que o clube já havia conquistado em 2016, a participação do time nas demais competições - Estadual, Copa do Brasil e, principalmente, Série B do Brasileiro, foi um grande fiasco, pode-se dizer. A série de quatro derrotas seguidas diante do maior rival, o Clube do Remo, no Paraense, ainda está gravada na memória da Fiel, assim como a queda para a Série C de 2019, além da eliminação, logo na primeira fase, na Copa do Brasil.

Os números mostram que o ponto nevrálgico do Papão, sem dúvida, foi a fragilidade de sua defesa, que contribuiu de forma decisiva para o insucesso do time em quase todas as competições que disputou na temporada. Foram 75 gols sofridos, o que faz com que clube apareça com a defesa mais vazada no futebol brasileiro este ano. O torcedor bicolor, com toda a razão, não via com bons olhos o compartimento do time, mesmo com todas as contratações que foram feitas para o setor, num total de 13 jogadores, entre goleiros, zagueiros e laterais.

O setor defensivo foi aquele que mais jogadores recebeu, superando meio de campo e ataque, para os quais foram contratados 7 e 10 jogadores, respectivamente. O retrospecto aponta um total de 75 gols sofridos pelo time em 61 partidas, o que representa uma média de 1,22 gols por jogo. “Reconheço que tivemos algumas dificuldades e que essas dificuldades contribuíram para algumas das derrotas de nossa equipe”, admitiu o zagueiro Diego Ivo, capitão do time na maioria dos jogos do Papão na temporada.

Alguns dos jogadores trazidos para reforçar a defesa deixaram o clube bem antes do jogo contra o Atlético-GO, que marcou, de forma vexatória, a despedida do time da temporada. Casos de Carlinhos, a pior contratação para o setor, Derlan e Victor Lindenberg. Já o zagueiro Fábio Alemão, tomado de empréstimo ao Internacional-RS, sequer atuou pelo clube. Com tão pífio aproveitamento, a defesa do time deverá ser, os números recomendam, o setor que mais deverá sofrer mudanças para a temporada de 2019, com muitos dos defensores sendo chamados para acertos, inclusive Fábio Alemão.

(Nildo Lima/Diário do Pará)
29/11/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.