Vandick Lima está descartado na nova diretoria do Paysandu

Ricardo Gluck Paul, futuro presidente bicolor, disse que procurou o ídolo e ex-mandatário do clube, porém, não obteve retorno. Vandick, por outro lado, afirma que nunca recebeu convite


A torcida do Paysandu aguarda com expectativa as primeiras decisões do quase presidente Ricardo Gluck Paul para o futuro do clube, principalmente depois do rebaixamento para a Série C do Brasileiro. A primeira medida foi anunciar a permanência do técnico João Brigatti. Agora o aguardo fica em torno do novo executivo de futebol. Pelo menos um nome em especial, quase que unanimidade entre a Fiel, está descartado. Vandick Lima, ídolo como jogador e ex-mandatário do Papão, não irá exercer um cargo na diretoria que tomará posse em 2019.

A reportagem entrou em contato na manhã desta quarta-feira com Ricardo Gluck Paul para saber da possibilidade de Vandick ser o executivo bicolor. Ricardo descartou, alegando que ligou três vezes para aquele que foi um dos destaques do título da Copa dos Campeões de 2002, além de enviar mensagens, porém, não obteve retorno. Paul disse, ainda, que respeitava a decisão do ex-presidente.

O GloboEsporte.com também conseguiu um rápido contato com Vandick na manhã de hoje. De acordo com ele, que está na Bahia, a mensagem que recebeu de Ricardo Gluck Paul dizia, apenas, que, quando quisesse, o ídolo Alviceleste poderia entrar em contato, entretanto, nunca houve um convite para fazer parte da nova equipe.

O certo é que houve um distanciamento “natural” entre Vandick Lima e Paysandu a partir do final de 2017, quando foi desligado da superintendência de futebol, cargo até então inédito no clube e que até hoje não foi ocupado por mais ninguém. Na época, Vandick não falou sobre a saída. Nos bastidores, se comentava que existia uma divergência de ideias com o restante da diretoria, formada pelo executivo André Mazzuco e mais três diretores: Abelardo Serra, Ivonélio Calheiros e Vítor Sampaio.

Histórico

Vandick Lima iniciou sua trajetória no Paysandu em 2001, ainda como jogador. Ele participou da fase mais vitoriosa da história do clube, com os títulos da Série B e da Copa dos Campeões. Aposentou-se dos gramados antes da equipe disputar a Copa Libertadores da América de 2003. Pouco depois assumiu seu primeiro cargo no Papão, o de coordenador de futebol.

Após cumprir mandatos como vereador em Belém, no final de 2012 Vandick voltou ao Paysandu para ser eleito o primeiro presidente do grupo “Novos Rumos”, que desbancou a chapa da situação e desde então comanda o clube. Seu mandato terminou em 2014, quando o advogado Alberto Maia foi eleito para dar continuidade ao trabalho.

Em setembro de 2017, Vandick foi convidado por Tony Couceiro para assumir a superintendência de futebol, cargo até então inexistente no Alviceleste. Ele começou os trabalhos na função no dia 22 daquele mês, mas só foi oficializado no cargo três dias depois. O principal objetivo era funcionar como uma ponte entre a diretoria e todos os setores do futebol, do profissional à base, além de ajudar com contratações de atletas. Seu trabalho era remunerado e não havia ligação direta com a gestão, ou seja, em teoria não seria influenciado por mudanças de gestão em eleições.

GE
28/11/2018

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.