Paysandu vai até Castanhal em busca dos 100% no Parazão


Para Vinícius Leite, Castanhal vem embalado, mas o Papão sabe o que tem de fazer para sair com a vitória. (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)

Quando o árbitro Gustavo Ramos Melo apitar o início do jogo de hoje entre Castanhal e Paysandu, às 16h, mais uma pequena novela – uma minissérie? – será encerrada no Campeonato Paraense. Até a última quinta-feira, dia 7, a partida estava ameaçada por causa de problemas nos laudos do estádio Maximino Porpino.

Praticamente uma força-tarefa foi montada para os últimos reparos, com o objetivo de liberar o estádio municipal para que ele tivesse capacidade para 5 mil torcedores e, com isso, ficasse apto a receber o jogo de hoje.

O exemplo da desorganização e do semiamadorismo do futebol regional serviu para atiçar as atenções para a partida. O encontro entre o Japiim da Estrada e o Papão deve ter sua lotação esgotada, provavelmente de longe o maior público em relação às mirradas rendas no chamado Modelão.

Curiosamente, o Paysandu encara o Castanhal pela terceira rodada do Parazão defendendo um tabu de onze anos sem perder no Maximino Porpino. O último revés bicolor foi em 2008, quando o Japiim venceu na última rodada da fase de classificação do returno do Campeonato Paraense. Na ocasião, o Papão já estava classificado para a fase seguinte. De lá para cá foram cinco partidas no Modelão com quatro vitórias alviazuis e apenas um empate.

O time da capital vai entrar em campo defendendo um aproveitamento de 100% em duas rodadas, ao passo que os donos da casa perderam as duas primeiras partidas, mas vêm de vitória na rodada passada e estão entusiasmados com a possibilidade de voltar à briga pelas primeiras posições.

Os bicolores garantem saber o que deve vir pela frente. “A equipe deles vem embalada pela vitória, mas sabemos o que temos que fazer. Apesar das dificuldades, temos condições de chegar aos três pontos”, afirmou o atacante Vinícius Leite.

Para o volante Johnny Douglas, o Castanhal mostrou qualidade na última rodada e deve ir para cima do Papão, que terá que saber controlar a partida para chegar à vitória. “Não tem mais aqueles times que estão apenas para participar. Todos os jogos são complicados e sabemos disso”, disse. “Todos que jogam contra o Paysandu querem ganhar, é normal. Os outros times ligam o 220 volts e vêm para cima. Nós temos que estar mais fortes ainda”, completou o meio-campista.

DOL
10/02/2019

>> Clique aqui para receber mais notícias, vídeos e promoções exclusivas do Paysandu
Tecnologia do Blogger.