Davi Santos comenta sobre a paixão demonstrada nas arquibancadas pelo Paysandu



Davi Santos, 23 anos, Funcionário Público

"Não me recordo ao certo quando comecei a ser Paysandu, desde que me entendo por gente sou bicolor. Minha primeira lembrança marcante, com 7 anos de idade, foi do ano de 2003, quando a cidade em festa azul e branco prestigiava o time alviceleste com uma surpreendente campanha na Libertadores. Lembro da alegria que contagiava a cidade.

Minha família é formada inteiramente de Bicolores. Fui ao estádio pela primeira vez em 2010, no jogo Paysandu x Santa Rosa, ano em que fomos campeões paraense. Desde então, são muitos momentos felizes e alguns tristes acompanhando o Paysandu das arquibancadas.

Em 2013, comecei frequentar a arquibancada reservada à Torcida Uniformizada Terror Bicolor (TUTB) no estádio da Curuzu. Torcida que canta sem parar apoiando o Maior do Norte. Sou um apaixonado por festa nas arquibancadas e a torcida do Paysandu é referência no assunto.

Em 2017, fui convidado a fazer parte da Comissão de Festas Bicolor, que desde 2014 organiza as maiores festas nas arquibancadas que o norte já viu. Me sinto honrado de fazer o meu melhor para levar o nome da torcida e do Papão para todo o Brasil com festas incríveis.

Meu sonho é um dia ver o Paysandu de volta à Série A, onde é seu lugar. Poder comemorar na bancada grandes glórias, como no passado vitorioso do maior detentor de títulos da Amazônia. Como disse nosso eterno ídolo e ex-presidente Vandick, 'meu nome é Paysandu!'".

O LIBERAL
07/07/2019


>> Clique aqui para receber mais notícias, vídeos e promoções exclusivas do Paysandu
Tecnologia do Blogger.